quinta-feira, maio 5

Caril de Frango e Banana

Como blogger de culinária sou bastante curiosa. Pelos novos ingredientes, pelos novos gadgets, pelos novos livros, blogs ou até pelos novos programas de tv onde a culinária está presente. Sou também curiosa quanto ás novas teorias/dietas que vão surgindo. Ele é macrobiótica, vegan, Paleo... e no meio disto tudo fico um pouco sem saber por onde começar pois vão surgindo receitas e mais receitas que me deixam intrigada e com vontade de saber mais.
Com o acesso aos vários meios de pesquisa podemos ver milhares de receitas mas confesso que muitas delas têm ingredientes tão "diferentes" e caros que fico-me pela curiosidade e nem sequer as considero testar um dia. Outras parecem-me simples demais, do tipo: jogar tudo numa tigela sem ser preciso cozinhar quaisquer dos seus ingredientes e mexe e remexe e agora toca a comer. Será?!?
No entanto, aparecem outras que até fico na dúvida de serem realmente parte de um estilo de vida/dieta saudável. Como um bolo que fiz no outro dia que deixou todos de boca aberta por ser vegan e ser deliciosamente delicioso. Claro está que não posso dizer aqui em casa que aquilo é vegan ou paleo ou outra coisa assim "esquisita", pois começam logo a dizer que não gostam ainda antes de provarem.
Foi o caso desta receita que trago hoje. É paleo!!! É um espectáculo!!!É saudável!!! E é para repetir...
Por isso se são assim um pouco desconfiadas como eu com certas receitas, aconselho a testarem uma ou duas e pode ser que tenham umas surpresas pelo caminho. Eu tive.

Caril de Frango e Banana
do blog  Eat,Drink Paleo

1/3 chav. de amêndoa laminada
1 banana pequena , partida em pedaços
2/3 chav. de natas de coco ( ou em substituição: a parte mais grossa das latas de leite de coco, retirando o soro)
2 dentes de alho
1/3 chav. de polpa de tomate
1/2 chav. de água
2 c. sopa de óleo de coco
1 cebola, em cubos
1 c. sopa de gengibre fresco ralado
500 gr de carne de frango em cubos (pode ser usado um frango em pedaços)
1 cenoura, em cubos
2/3 c. chá de acafrão Margão
2/3 c. chá de caril Margão
1/4 c. chá de chilli
1 pau de canela Margão
1 folha de louro
3 vagens de cardamomo Margão
Sal q.b
1 c. sopa de sumo de limão
1/2 chav. de ervilhas congeladas

Começar por alourar as amêndoas laminadas numa frigideira em lume brando, até estarem ligeiramente douradas.
Colocar a banana, metade das amêndoas(reservar as restantes), as natas de coco, o alho, a polpa de tomate e a água num robot de cozinha e reduzir tudo a puré. Reservar.
Num tacho colocar o óleo de coco, juntar lhe a cebola picada e deixar refogar uns dois minutos.
Deitar o gengibre e refogar um pouco.
Agora acrescentar o frango e as cenouras mexendo para alourar tudo.
Temperar com as restantes especiarias, o sal e a mistura da banana.
Regar com o sumo de limão e envolver tudo. Colocar a tampa no tacho e deixar cozinhar 15 minutos em lume médio. (Caso use peitos de frango este tempo está certo ,mas para um frango em pedaços tem de acrescentar mais tempo, cerca de 30-40 minutos na totalidade)
No fim dos 15 minutos, juntar as ervilhas e deixar cozinhar, sem tampa, por mais 5 minutos.
Servir com as restantes amêndoas laminadas e coentros picados.



quinta-feira, março 24

Um Bolo de Banana e uns toques daqui e dali....

Não sei se vos acontece mas ás vezes é-me impossível seguir as receitas. Umas vezes porque não tenho os ingredientes todos e faço umas substituições, outras vezes porque me apetece colocar mais uma coisinha ou outra. 
Para ser sincera, confesso que também adoro inventar. Normalmente até me saio bem nas invenções, talvez devido a um palato desenvolvido ou a conhecer certas combinações que são garantias de sucesso.

Foi o caso deste bolo, que achei que ia ficar óptimo com o aroma da canela e umas nozes. E como é do conhecimento público, a banana e canela são um casal perfeito (para quem aprecia, claro!) e as nozes são " la "piéce de resistance" para este bolinho bem prático.

Se forem do estilo "inventor" podem sempre acrescentar outras combinações que sejam do vosso agrado e tornar o bolo uma ideia nova. 

É por isso que a culinária é, para mim, uma ciência de inspirações, gostos e momentos. Todas as receitas ficam à mercê do estado de espírito do cozinheiro e mesmo seguindo a receita vezes sem conta ela nunca sairá igual. Pelo menos a mim acontece imensas vezes....

Bolo de Banana de Tabuleiro
Adaptado do livro "Família e Amigos à Mesa", Joana Roque

2 bananas médias
200 gr de farinha
200 gr de manteiga
200 gr de açúcar
4 ovos
1 c. chá de fermento para bolos
1 c. chá de canela Margão
100 gr de nozes picadas grosseiramente

Pré aquecer o forno a 180ºc e forrar um tabuleiro pequeno com uma folha de papel vegetal.
Bater a manteiga com o açúcar até estar cremoso.
Juntar um a um  os ovos e bater bem entre cada adição.
Adicionar a farinha, a canela e o fermento, mexendo bem.
Juntar as bananas, reservar algumas para colocar por cima da massa, e as nozes envolvendo tudo.
Deitar a massa no tabuleiro, alisá-la e dispor as rodelas de banana reservadas .
Levar ao forno por 40 minutos ou até estar dourado e cozido.
Deixar arrefecer para depois cortar em quadrados.


quarta-feira, fevereiro 24

Sopa de Miso e Companhia

Não sei se vos acontece mas por vezes os títulos das receitas em inglês soam bem melhor que em português. Dá-me vontade de colocá-los em inglês mas como sei que muitas pessoas não o dominam  e sendo o blog português acho que devo permanecer fiel à língua Mãe.
Esta sopa em inglês: Shiitake Miso Noodle Bowl, traduzindo em miúdos, Tigela de Noodles, Miso e Shiitake. Nada atractivo, certo? 

Na realidade esta sopa, para além do nome, teve outras alterações (e pode ser adaptada ao gosto ou realidade de cada um). Nesse dia não havia os Shiitake ,  por isso coloquei uns Pleurotus, também conhecidos por Cogumelos Ostra. Os noodles na receita são de ovo e como tinha uns de arroz alterou-se mais um pouco.
Acrescentei também um pouco de molho soja pois a sopa ficou doce e o nosso paladar está habituado a um pouco de mais sal.

Na verdade, podemos alterar tudo o que quisermos pois a base da sopa é o caldo com o Miso, o resto poderão ser os vegetais que tiverem ou até um pouco de frango cozido desfiado, uns camarões cozidos.






Sopa de Miso e Companhia

1c. sopa de óleo de girassol
1 cebolinho ( alterei para 1 alho francês), picado
150 gr de cogumelos ( Shiitake, Pleurotus ou outros) fatiados
1 c. chá de gengibre ralado
1 couve Pak Choi*
2 c. sopa de pasta de Miso**( usei da branca mas podem usar da mais escuro, talvez usando apenas uma colher de sopa pois é mais intenso)
600 ml de água a ferver
1 cubo de caldo vegetal orgãnico
Molho de peixe q.b
1 meada de noodles ( dos que mais gostarem: ovo, arroz, integral)
Tofu Bio***
Sumo de 1 limão
Sementes de sésamo pretas

Aquecer o óleo num tacho fundo.
Deitar o alho francês picado, o gengibre e os cogumelos. Deixar fritar 2-3 minutos.
Entretanto prepare a couve Pak Choi, retirado as folhas e separado os talos da parte verde.
A parte branca, talo, cortar em finas fatias e adicionar ao tacho para fritar por mais um minuto. Às partes verdes dar um corte mais grosseiro e reservar.
Adicionar a água e o caldo vegetal e tapar o tacho até que ferva.
Juntar nessa altura os noodles e com um garfo desenlaçar a meada.
Numa tigela pequena deitar a pasta Miso e com algumas colheres de água dissolver até estar cremoso.
Juntar a pasta Miso, umas gotas de molho de peixe e as folhas verdes da Pak Choi ao caldo. Baixar o lume e deixar ficar por 1 minuto.
Cortar o tofu em quadrados pequenos e reparti-los pelas taças da sopa.
Retirar o caldo e os vegetais para as taças, regar com um pouco de sumo de limão e colocar umas sementes de sésamo.
Servir.

Nota: 
Verifiquem o sabor e caso queiram por um pouco de mais sal podem acrescentar molho de soja, na tigela.

*Couve Pak Choi ou Bok Choy, pode ser encontrada nos supermercados na área dos frescos. É uma couve tiporepolho mas em ponto pequeno. É muito tenra e o sabor é muito suave.

**Pasta Miso, pode ser encontrada nas lojas Celeiro, on-line, ou nas lojas de especialidade.
Consiste em uma pasta de soja, arroz ou até cevada fermentada que quanto mais tempo de fermentação mais intensa se torna.
Levemente salgada na versão mais clara, a Shiromiso e na versão mais escura , a Akamiso.
Existem ainda outras versões: a preta e a bege.
Depois de abertas duram imenso tempo no frigorífico, onde podem vir a ficar mais intensas pois  o processo de fermentação continua.

***Tofu Bio, pode ser encontrado um pouco por todo o lado, hipermercados, lojas Celeiro ou em lojas de especialidade.
Derivado do leite de soja, pode se classificar quase como um queijo fresco.
Não tem um sabor distinto, pois absorve os sabores que lhe adicionarem. 

quinta-feira, fevereiro 18

Lasanha Mexicana

Ás vezes basta um empurrãozinho para que tudo mude.
A vontade de testar coisas novas e de ir para a cozinha meter mãos à obra estava desaparecida.
Claro que continuava a cozinhar mas apenas o trivial e sem grandes performances, o suficiente para alimentar os pequenos.
De vez em quando via um programa na 24Kitchen e a vontade de ir fazer alguma coisa espreitava mas, fugia logo de seguida.
Isto irritava-me mas também não me esforçava para que essa apatia se fosse embora.
Bastou apenas uma colher de sopa para me fazer mudar...
Sopa...
Parece incrível,  eu que nem sou de sopas.
O provar algo diferente, o querer reproduzir em casa. Procurar novos ingredientes, novos legumes, novas receitas, abriu um novo leque de possibilidades que há muito desejava.

E foi nessa nova demanda que achei esta receita e a adaptei ao nosso gosto.
Segundo consta foi das melhores lasanhas que fiz.

Assim se abre um novo capítulo, um novo despertar para a culinária, um renovado gosto por me dedicar ao que aprecio fazer.




Lasanha Mexicana

Azeite q.b
1 cebola picada
450 gr de carne picada
Sal, pimenta, cominhos q.b
Piri-piri (opcional)
1 c. chá de coentros picados
170 gr de polpa de tomate
1 lata de tomate pelado (400 gr)
6 tortilhas
1 lata de feijão preto cozido (400 gr)
1 lata de milho cozido (198 gr)
450 gr de queijo ralado ( usei Mozarella mas também fica bem com Cheddar)

Colocar um fio de azeite num tacho e juntar lhe a cebola para refogar.
Adicionar a carne e temperar com o sal, a pimenta, os cominhos, o piri-piri (caso use) e os coentros.
Desfazendo os bocados maiores de carne á medida que for fritando.
Deitar a polpa e o tomate pelado (picado) e cozer por 2-3 minutos.
Retirar do lume.
Cobrir o fundo de uma travessa com 2 tortilhas.
Deitar parte da carne, seguida de um pouco de feijão, milho e por fim parte do queijo.
Repetir outra camada. 
Terminar com 2 tortlhas e com o restante queijo por cima.
Levar ao forno a 180ºc até estar dourado e a borbulhar.



Sugestão:
Servir com guacamole, uns nachos e umas tequillas e fazer uma noite temática.

quinta-feira, fevereiro 4

Bolo de Chocolate e Gengibre

É impressão  minha ou está mesmo frio???
Uma das maneiras quer faço para aquecer a casa é ligar o forno, fazendo uma comidinha de tabuleiro ou algo parecido. Aproveitei e fiz um bolinho para acompanhar a bela da chávena de chá.
Foi-me pedido um bolo de chocolate e este seduziu-me pelo toque de gengibre.
Não fica um bolo muito doce, nem o sabor de gengibre muito presente, mas é uma bela conjugação.






Bolo de Chocolate e Gengibre
retirada da revista À moda do Flávio nº2

4 ovos
200 gr de açúcar
200 gr de farinha para bolos (com fermento)
100 ml de óleo
100 ml de leite
100 gr de chocolate negro em pó 
1 c. chá de gengibre em pó Margão

Começar por bater os ovos com o açúcar por alguns minutos até ter um creme.
Alternadamente bater a farinha, o leite e o óleo.
Juntar depois o chocolate e o gengibre e envolver tudo.
Deitar numa forma untada com manteiga e polvilhada com farinha.
Levar ao forno a 170ºc por cerca de 45 minutos. (fazer o teste do palito)


Nota :
Podem cobrir o bolo depois de frio com a cobertura de Chocolate pronto a fundir da Vahiné, que se faz em poucos minutos no microondas ou em banho maria.

quarta-feira, fevereiro 3

Cookies 2 Chocolates

Há qualquer coisa de extraordinário no acto de fazer bolachas e de encher o pote.
Não sei se é o facto de as bolachas terem um sabor mais autêntico, se é o prazer de poder inventar, acrescentar ou até inovar uma receita. 
Sei que adoro ver o pote com bolachas feitas em casa, com carinho e cuidado.
Adoro vê-los passar com uma mão cheia de uma pilha de bolachas e sorrirem, como quem diz : "são só mais estas, ok?"
Ás vezes a preguiça leva a melhor mas outras lembro-me o quanto eles gostam das bolachinhas da mãe e lá vou eu ... 





Cookies 2 Chocolates
adaptado revista Mais +, Janeiro/Fevereiro

600 gr de farinha sem fermento
350 gr de açúcar amarelo
300 manteiga com sal
3 ovos
100 gr de pepitas de chocolate Vahiné
100 gr de chocolate branco partido em pedacinhos

Aquecer o forno a 190ºc e forrar um tabuleiro com papel vegetal.
Numa taça funda, misturar a farinha, o açúcar, os ovos e a manteiga em pedaços pequenos.
Amassar até que a manteiga esteja incorporada mas não amassar em demasia. ( convém deixar restos de manteiga visíveis para ficarem mais crocantes).
Envolver depois os chocolates e levar a massa ao frio por 1 hora.
Fazer bolas do tamanho de uma noz, achatar levemente e levar ao forno por 12 minutos ou até estarem dourados.
Retirar para uma rede e deixar arrefecer antes de os guardar.



Nota:
Enquanto não estiver a usar a restante massa volte a colocá-la no frio. 
Pode adicionar outros ingredientes a gosto: frutos secos, coco ralado ou até não colocar nada e aromatizar com casca de limão ou baunilha.
  

quinta-feira, janeiro 14

Bolo Alfajor

Ohhh não, mais uma receita com chocolate???
(Risos) Por este andar ponho os meus leitores com diabetes via online .
Eu prometo que será só mais esta e depois vou tentar trazer umas receitas mais leves e sem chocolate.
É que o meu Natal foi muito achocolatado e eu tinha mesmo de o partilhar convosco...

Para este bolo aconselho-vos a fazerem-no num dia e a comerem-no no outro para que as bolachas fiquem mais moles e absorvam o recheio.

E agora a receita:





Bolo Alfajor
adaptado da receita do site Sal de Flor

49 bolachas de manteiga altas
1 lata de leite condensado cozido
250 ml de leite
250 gr de chocolate de leite
1 pacote de natas
Cerejas cristalizadas
Rolinhos de Cacau Magro Vahiné

Notas:
Usar uma forma redonda de aro amovível.
Serão feitas 7 torres,uma central e as restantes em redor, com 7 bolachas cada.
A última camada de bolachas ( a 7ª) é apenas humedecida no leite e não se barra com o leite condensado.

Bolo:
Passar as bolachas no leite rapidamente para que não quebrem.
Barrar cada uma com uma colher de chá de leite condensado e ir formando as torres (formato de flor).
Não esquecer que a ultima não leva creme.
Terminadas as torres levar ao frio por 2 horas.

Cobertura:
Levar as natas ao lume sem deixar ferver.
Retirar do lume e juntar o chocolate partido em pedaços. Mexer até estar cremoso.
Quando estiver morno cobrir o bolo e decorar com as cerejas e com os rolinhos de cacau.
Levar ao frio de preferência de um dia para o outro ou no mínimo 6 horas.




quarta-feira, janeiro 13

Tarte de Nutella e Avelãs

Quem aqui é fã de Nutella? 
Quem já comeu uma colherzinha ás escondidas? Ou no fim de barrar o pão lambeu a faca?
Moi. 
Mas não estou sozinha porque aqui por casa é só gulosos.
Esta tarte esteve na nossa mesa de Natal , e não é doce tradicional de Natal, eu sei, mas eu já vos disse que somos gulosos?

Se quiserem impressionar alguém façam esta tarte. Não custa nada a fazer, pode ser feita de manhã ou no dia anterior e depois é só servir. Os ingredientes também não são nada demais e mesmo quem tenha pouco jeitinho para doces, garanto que a vai fazer e se vai sair bem. 
Mas se estes argumentos não chegam para vos convencer a fazê-la, apenas vos digo: NU-TE-LLA!!!!!
I rest my case...





Tarte de Nutella e Avelãs
receita retirada e adaptada do site da RTP, efectuada por Cristina Manso Preto

2 pacotes de bolacha Digestive 
180 gr de manteiga, derretida
8 c. de sopa de Nutella
2 embalagens de queijo creme, temperatura ambiente
100 grs de avelãs

Cortar as avelãs em pedaços e levar ao forno até ficarem ligeiramente torradas.Reservar.
Reduzir as bolachas a migalhas com a ajuda de um robot de cozinha ou de uma picadora.
Juntar ás bolachas a manteiga derretida. Envolver até ter uma massa húmida.
Colocar numa tarteira e espalhar bem com a ajuda de uma colher ou até com as mãos, de modo a ficar com os rebordos preenchidos e uniforme.
Levar ao frio e começar a preparar o recheio.
Bater o queijo e aos poucos juntar a Nutella. Quando o creme estiver cremoso deitar na tarteira e espalhar.
Colocar as avelãs por cima e levar novamente ao frio até ficar mais firme.


E agora quem vai resistir?????

quarta-feira, dezembro 23

Bolo Caramelizado com Mix de Frutos Secos e Maçã

Boas festas a todos!!!
Devem andar numa azafama imagino...aqui por estes lados também...

Todos os anos tenho uma lista de receitas que quero testar para depois colocar na mesa. Umas ficam para trás porque a lista é sempre demais da conta. Mas há algumas receitas que saltam logo para o inicio da lista porque cumprem os requisitos da cozinheira.
Com este bolo aconteceu isso mesmo.
Assim que vi a fotografia e depois li a receita vi logo que tinha tudo para ser um sucesso.
E será, sem sombra de duvida  uma bolo a repetir vezes sem conta porque é mesmo delicioso...

Mesmo que não tenham espaço na mesa de Natal, não se esqueçam de o fazer.
É a companhia ideal para uma chávena de chá, para um cafézinho entre amigos ou até para oferecer a quem se quer bem.

E como este será o último post antes da consoada quero-vos desejar um FELIZ NATAL a todos com muita saúde, alegria, sorte e Amor.


Bolo Caramelizado com Mix de Frutos Secos e Maçã
receita retirada da página do facebook  Empório Boa Terra

4 ovos
2 cháv. de farinha
1 cháv. de açúcar para a massa
1/2 cháv. de açúcar para polvilhar o Mix
3 c. sopa de manteiga
1 c. de sopa de canela
1/2 cháv. de leite
1/2 cháv. de água
1 c. sopa de fermento
2 maçãs fatiadas, com casca
400 gr de Mix de frutos secos ( incluia: castanhas do Brasil, avelãs, amêndoas,macadãmia, nozes)

Untar uma forma com manteiga e polvilhar com farinha.
Espalhar o mix no fundo da forma e polvilhar com o açúcar.
Deitar a água por cima do mix e cobrir com as fatias de maçã.
Reservar.
Na batedeira, bater a manteiga com o açúcar e os ovos até ter uma massa fofa.
Acrescentar a farinha, a canela, o leite e bater bem.
Por fim, colocar o fermento e envolver.
Deitar a massa por cima das maçãs e do mix e levar ao forno pré aquecido a 180ºc por 1 hora ( no meu forno levou um pouco mais).
Fazer o teste do palito no centro do bolo.
Desenformar ainda morno.





segunda-feira, dezembro 7

Torta de Iogurte, Pão e Tangerina

Olá de novo!!!Bem sei que tenho andado afastada mas muita coisa tem acontecido e por vezes o tempo para o que gostamos também fica mais curto.
A vida é muito preenchida e confesso que também a vontade tem andado desaparecida. Tenho cozinhado,  tenho feito muitas experiências novas e testado muita coisa mas depois vem a preguiça de arranjar tudo para o "mise en place" e de ir buscar a máquina para captar os melhores ângulos, e depois fazer o tratamento de imagens e os textos, e tudo o que demais vem por detrás de uma receita colocada num blog.
A inércia toma lugar e com o avançar do tempo comecei a questionar se haveria alguém que ainda perderia tempo a vir ver o que por aqui se fazia, a questionar-me se realmente todo o tempo e trabalho que se investe é apreciado e até a questionar-me se no meio de tantos blogs deliciosos que há por aí,  o meu seria apenas um ou somente mais um .


Acho que quem tem um blog me vai entender perfeitamente e poderá até já ter passado por algo semelhante. E no fundo, acho que este interregno me fez bem. Ajudou me a avaliar muita coisa e a perceber que a ideia que eu tinha era errada. a ideia de que se tem de postar todos os dias para manter as pessoas fieis e interessadas. a ideia que devemos aos nossos seguidores uma novidade/receita todos os dias. E esta ideia levou a que algo, que comecei como hobby e depois com paixão, se tornasse um peso, uma rotina, uma obrigação.  
Eu detesto obrigações, ordens e "tem-mesmo-de-ser-senão-perco-seguidores-e-tal". 
Assim sendo, começa um novo capitulo, mais calmo, mais espaçado, mais Eu... 
E como se começa??? Com algo doce ....




Torta de Iogurte, Pão e Tangerina
do blog:" receitas da Belinha Gulosa"

2 iogurtes naturais
6 ovos
300 gr de açúcar
4 fatias de pão de forma
1 tangerina (sem casca)
2 c. de sopa de farinha
2 c. de sopa de manteiga



  1. Numa tigela colocar o pão (partido aos bocados) com o iogurte e deixar amolecer.
  2. Colocar na liquidificadora os ovos e a tangerina. Processar.
  3. Deitar o pão com o iogurte e processar novamente.
  4. Acrescentar o açúcar e a farinha e depois por fim a manteiga. Processando tudo.
  5. Num tabuleiro não muito grande, colocar uma folha de papel vegetal (untar um pouco o tabuleiro para que o papel adira melhor), untá-lo e polvilhar levemente com farinha.
  6. Deitar a massa e levar ao forno pré aquecido a 180ºc por 10-15 minutos.
  7. Polvilhar açúcar num pano de cozinha, e assim que retirar a torta do forno virar o tabuleiro para cima do pano.
  8. Enrolar e deixar enrolado (com pano e tudo) até ficar fria.